Entenda um pouco mais sobre cosméticos naturais

Considerado um mercado relativamente novo, com os principais produtos embasados em shampoos sabonetes e condicionadores naturais, as linhas de cosméticos naturais e veganos são as novas apostas dessa indústria.

Muitas marcas nacionais como Natura, Feito Brasil, e Baims já estão nessa nova proposta que além de ser mais sustentável incentiva os consumidores a fazerem o bem. Alguns dos produtos fabricados têm como matéria prima raízes, e folhas de árvores, sementes, e não são testados em animais.


A Baims por exemplo, suas embalagens são feitas de bambu, e um de seus principais princípios é respeitar o princípio da sustentabilidade e da transparência, o que significa priorizar o uso de insumos e matérias primas naturais ou orgânicas, não testadas em animais e livres de ingredientes tóxicos. Assumindo a responsabilidade com o consumidor de oferecer produtos de alta tecnologia a favor da beleza com benefícios reais associados à saúde e o meio ambiente.

O consumo sustentável é tido como prioridade para 32% dos brasileiros, segundo pesquisa divulgada em outubro de 2019 pela Nielsen Brasil, a partir do monitoramento de compras de 8.300 pessoas.


Os principais fatores que tornam a indústria de cosméticos mais prejudiciais são devidos dos excessos de químicos utilizados nas composições dos itens de beleza, utilizando facilmente mais de 10 mil substâncias químicas nos processos de fabricação, são chamadas de POPs (Poluentes orgânicos persistentes), pois demoram muito tempo para se decomporem. Um ponto que acaba diferindo o mercado sustentável do industrializado são as escalas de produção, que inclui o processo de fabricação, itens utilizados para a fabricação, e se preocupando desde a embalagem até o descarte após o uso.


Alguns produtos feitos de microesferas, sua maioria por ser produzido de plástico, eles acabam escorrendo pelos ralos chegando até os oceanos e sendo consumidos por espécies de animais marinhos, por isso muitas empresas substituíram o material de produção do plástico por areia, casca de nozes trituradas, farelo de arroz, argila, dentre outros materiais menos impactantes para o meio ambiente.


Um dos itens mais prejudiciais que é utilizado para a aplicação de maquiagens são os cotonetes. Os cotonetes estão entre os próximos itens de plástico a serem banidos do uso cotidiano das pessoas, devido ao descarte errado, o que acaba tendo como resultado animais marinhos ingerindo o item como se fosse alimento.


Sendo que alguns compostos usados para produzirem alguns tipos de maquiagens estão sendo banidos de alguns países, substâncias como corantes, neutralizantes, ceras parafínicas e polímeros sintéticos podem causar um significativo impacto ao meio ambiente.


Existe um projeto chamado PEA (projeto esperança animal), que mantém atualizada uma lista de empresas brasileiras que não testam seus produtos em animais. Algumas marcas fazem esses tipos de testes, como: Avon, Coppertone, Dove, Biotherm (todas em algum setor específico/linha de produto).


A maneira que esses testes funcionam muitas vezes chega a ser até de forma cruel, despejando nos olhos dos animais, suas peles ou os obrigando a ingerirem compostos. Há grandes consequências desta abominável prática, podendo resultar na cegueira, desenvolvendo alergias, e muitas vezes o sofrimento chega a ser tanto que os animais acabam não resistindo e chegam a falecer. Os principais animais utilizados para estes experimentos são: cachorros, ratos e coelhos.


O principal intuito desse texto é orientar o consumidor a ter dentro de suas listas de consumo produtos que sejam menos impactantes, tanto para o meio ambiente, quanto para sua própria saúde e para a saúde dos animais que são feitos de cobaias em algumas marcas. O que deve haver é uma certa reeducação na hora da compra, por mais que o produto em algumas das vezes tenha um valor mais elevado o que realmente importa é o que vem por trás do preço, o que inclui o material utilizado para sua fabricação e a causa na qual sua fabricante defende.