#nofloralfoam e a sustentabilidade dos arranjos de flores

Atualizado: 18 de Dez de 2021

Com a chegada do mês de dezembro se aproximam também as comemorações de final de ano e há um item que sempre está presente, seja em uma cesta ou na decoração da mesa de Natal: as flores. Para pessoas que têm um afeto especial pela natureza, um lindo arranjo de flores ou um buquê bem decorado são essenciais para a celebração estar completa. Mas essas mesmas pessoas podem estar gerando um dano ambiental (quase) invisível. Já reparou naquele bloco verde localizado na base dos arranjos vendidos em floriculturas? Provavelmente sim. Esse material é a espuma floral e, apesar da sua coloração, de verde ela não tem nada.


Essa espuma foi inventada na metade do século XX pela empresa americana Smithers-Oasis, não especificamente para o uso em floriculturas, mas acabou sendo adotada pelo setor em razão da sua facilidade de manuseio, relativo baixo custo e porque funciona como uma extensão do caule da flor. Ela é feita de nada mais, nada menos, que plástico, ou, de forma mais específica, um fenol-formaldeído. Após o seu uso para a criação e sustentação de arranjos florais, a espuma é frequentemente descartada em pias e ralos, passando por um processo de fragmentação, gerando pequenos pedaços do material, conhecidos como microplástico. Um artigo publicado em 2019, considerado o primeiro a estudar os efeitos ambientais da espuma floral, descobriu que esse microplástico é facilmente ingerido por animais marinhos, ocasionando danos físicos e estresse. Para entendermos a dimensão desse prejuízo, estima-se que cada bloco de espuma tenha um peso equivalente a 10 sacos plásticos.


Reza a lenda de que as flores duram mais quando condicionadas na espuma, mas um estudo publicado em 2014 constatou que as rosas, por exemplo, duram o mesmo tempo ou até mais se acomodadas em um vaso de água, refutando a crença de que a espuma prolonga a vida das flores. Ainda assim, uma pesquisa com mais de 1200 floristas do mundo descobriu que 2/3 deles usam a espuma tóxica e a grande maioria (72%) despeja o material na pia ou ralo. Se você já assistiu o filme “Procurando Nemo”, provavelmente irá se lembrar daquela frase: “todo esgoto vai dar no mar” - mas o prejuízo ambiental começa muito antes disso. Em cidades localizadas no interior ou mais afastadas na região costeira, os microplásticos se espalham por rios e lagos, impactando fortemente a vida aquática.


Raramente nos damos conta disso quando compramos arranjos para enfeitar nossas casas ou algum evento. Optamos por flores em razão da sua ligação direta com a natureza, mas ao mesmo tempo geramos um dano significativo nela. Para aumentar a conscientização sobre o tema, surgiu a hashtag #nofloralfoam, que em tradução literal significa #semespumafloral. Alguns representantes da arte da floricultura já estão atentos e se juntaram à campanha. A Royal Horticultural Society, principal instituição de caridade de jardinagem do Reino Unido, anunciou em janeiro de 2020 que a espuma floral seria banida de todos os seus eventos a partir de 2021. Além disso, muitos floristas estão compartilhando formas de estabilizar os ramos das flores e mantê-las em bom estado sem o uso do material. A tarefa não é apenas possível, como muito acessível. Podemos dizer que a espuma floral é um luxo nada necessário e extremamente não ecológico.


Para acompanhar a onda de consciência, empresas estão desenvolvendo as chamadas "espumas bio florais", que se dizem biodegradáveis. Para isso, a fórmula da espuma é enriquecida com um componente que leva a espuma a se decompor mais rapidamente, resultando em metano, CO2 e matéria orgânica. Bem, CO2 e metano são gases de efeito estufa. Ademais, já sabemos que o problema não está no espaço ocupado pela espuma, mas no microplástico gerado após a sua fragmentação. Por isso, o aditivo biodegradável pode ser ainda mais prejudicial. Como sempre, a solução é ser minimalista e evitar o uso do material. Garanto que mesmo sem a espuma floral os seus arranjos serão de tirar o fôlego. E o meio ambiente agradece.

Fontes:

https://www.sciencedaily.com/releases/2019/12/191210111651.htm

https://www.rmit.edu.au/news/all-news/2019/dec/floral-foam-microplastic

https://www.housebeautiful.com/uk/garden/a30594959/floral-foam-ban-rhs-flower-show/

https://www.sustainablefloristry.org/blog-index/aboutfloralfoam

https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/14620316.2014.11513046